Loja com roupas tamanho 80 foi recomeço de amor internacional

Casal, que se conheceu em um ônibus de Portugal, se reinventou no Brasil vendendo roupas plus size

Depois de viver uma história de amor com início curioso em Portugal e retornar ao Brasil, Lauro Augusto de Oliveira e Janaína Cristina Prado perceberam que poderiam recomeçar sua caminhada em um mercado que segue restrito até hoje: o da moda plus size masculina. Com um box no Camelódromo, os dois contam que se realizam vendendo roupas com tamanhos que vão até o 80

Há 19 anos, quando se conheceram em Portugal, os dois não imaginavam que iriam seguir juntos e, pior ainda, que iriam abrir uma loja no Brasil. Tentando uma nova vida no estrangeiro, os dois brasileiros, que não se conheciam, já moravam em Portugal há alguns anos antes de se encontrarem.

Na época, Lauro era motorista de ônibus e Janaína já trabalhava com comércio, conforme ele explica.

“Ela perdeu os documentos dentro de um ônibus e veio me perguntar se eu sabia como ela poderia procurar. Eu disse que iria ajudar, consegui encontrar os documentos e foi aquele negócio, perguntei como ela se chamava e a gente foi se conhecendo”, Lauro narra

Conforme o tempo foi passando, os dois se tornaram um casal e continuaram morando em Portugal. “Tivemos dois filhos que nasceram lá e, anos depois, em 2012, resolvemos voltar por conta da crise e também porque estávamos há muito tempo longe da família.”

Aproveite e saiba mais de como encontrar costureira urgente em são paulo

Por ter trabalhado durante toda a vida com comércio, Janaína detalha que, ao retornar ao Brasil, pensou que o melhor caminho seria executar aquilo que já sabia bem: vender. No início, a ideia era disponibilizar roupas com tamanhos “regulares”, mas ela conta que após passar por algumas experiências e receber pedidos de clientes, decidiu ampliar o escopo

“Uma vez, eu fui comprar uma camiseta de tamanho grande em uma loja e estava supercaro, aí é que comecei a pensar que podia oferecer em um preço mais barato. Também fui vendo que a demanda para esses tamanhos maiores era grande, então, começamos a vender”, diz.

Com objetivo de garantir vestuário tanto para quem é mais alto do que o comum quanto para pessoas acima do peso, Janaína relembra que iniciou a comercialização indo do tamanho 48 até o 56.

Já com alguns clientes consolidados, ela explica que novas demandas foram aparecendo e pedidos para roupas com estilos variados em tamanhos maiores também chegaram. “Eu tinha até o 56, mas com a demanda, fomos atrás e depois de procurar muito, consegui vender até o 80. Hoje, temos desde cuecas até blusas de frio para esse público.”