Flipoços: Festival literário no sul de Minas Gerais chega à 13ª edição

FOTO: Depositphotos

O Festival Literário de Poços de Caldas (Flipoços), no sul de Minas Gerais, chega à 13ª edição com uma extensa programação com 80 atividades entre lançamentos de livros, palestras, oficinas e encontros com convidados nacionais e internacionais. O evento será realizado entre os dias 28 de Abril e 6 de Maio de 2018, no Espaço Cultural da Urca, e a expectativa é de receber um público de 60 mil pessoas.

Com o tema A Literatura e os outros Saberes, o Flipoços 2018 propõe um diálogo com as várias áreas de conhecimento como filosofia, culturas milenares, saúde e bem-estar, artes plásticas, ciência e tecnologia, tendo a literatura como alicerce formador das expressões universais. A abertura será marcada pela festa Levedo & Letras, com entrada gratuita e show de chorinho com o Araçá Quarteto.

O patrono da edição é Davi Arrigucci Junior, professor aposentado de teoria da literatura da Universidade de São Paulo (USP) e autor dos livros O Escorpião Encalacrado (sobre Julio Cortázar); Humildade, Paixão e Morte: a Poesia de Manuel Bandeira; O Cacto e as Ruínas (sobre Manuel Bandeira, Murilo Mendes e o modernismo brasileiro); e Coração Partido (sobre Carlos Drummond de Andrade).

Natural de São João da Boa Vista (SP), recebeu o Prêmio Jabuti pelo melhor livro de ensaios de 1979 (Achados e Perdidos) e o Prêmio APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte de 1987 (Enigma e Comentário). No dia 29 de Abril, às 19h30, ele fará a palestra Sertão Oeste Pampa, sobre as relações entre narrativa e experiência histórica na obra de João Guimarães Rosa, John Ford e Jorge Luis Borges.

O escritor sulfuroso deste ano (uma referência à água sulfurosa e terapêutica que fez a fama da cidade) será o jornalista poços-caldense Luis Nassif, ganhador do Prêmio Esso de Jornalismo e do Prêmio Comunique-se como jornalista de economia das mídias impressa e digital. Nassif também integrou o Instituto de Estudos Avançados da USP, o Conselho de Economia da Fiesp e foi finalista do Prêmio Jabuti de literatura.

Outro homenageado será o professor Antonio Candido de Mello e Souza, que completaria 100 anos em 2018 – ele morreu em 2017, poucos dias depois de publicar um texto na antologia Poços é uma Festa, lançada no 12º Flipoços. Haverá, ainda, uma conferência com Sergio Montero e Rodrigo Falconi, seguida da exibição do filme realizado com o professor Antonio Candido em 2012, quando ele foi patrono do festival.

PAÍSES LUSÓFONOS

Como homenagem a países lusófonos, uma tradição no Flipoços, o evento recebe, nesta edição, escritores de Moçambique e Portugal, sendo que no 5 de Maio, quando é comemorado o Dia Internacional da Língua Portuguesa, será realizada uma mesa com autores de diferentes países. A mediação ficará a cargo da escritora, professora e pesquisadora de lusofonia Susana Ventura.

Entre os lançamentos agendados para o 13º Flipoços estão A Coleção Privada de Acácio Nobre (Editora Dublinense), da portuguesa Patricia Portela; A Mulher Sobressalente (Malê Edições), do moçambicano Dany Wambire; Visão (Editorial Fundza), do também moçambicano Manuel Mutimucio; e Os Loucos da Rua Mazur (Leya Editora e Camões Instituto), do português João Pinto Coelho.

OUTROS SABERES

  • Culturas milenares: O Flipoços terá vários eventos destinados às culturas milenares, com bate-papos sobre as culturas islâmica e africana, benzimentos, orações e influências dos antigos nos saberes de hoje.
  • Vozes da periferia: Outra tradição do evento é o Encontro de Arte da Periferia, que este ano terá show do rapper Dexter (4/5). Antes da apresentação, será realizado um bate-papo com as mulheres de destaque na literatura marginal e periférica.
  • Literatura e Filosofia: Esse eixo da programação vai abordar a filosofia taoísta e a metacorporeidade, com o lançamento do livro do autor taiwanês Chiu Yi Chih.
  • Literatura Noir: Outro destaque é o inédito encontro de Literatura Noir, com a proposta de reunir grandes nomes da literatura policial brasileira.
  • Literatura e Bem Estar: Mesa literária com as presenças de Daiana Garbin, Daniel Barros e Ligia Guerra. Eles discutirão o tema O Papel da Literatura Como Aliada ao Bem-Estar e a Saúde.
  • Literatura e artes plásticas: Mesa Literatura e Artes Plásticas – O Que nos Ensinam o Antigo e o Contemporâneo reunirá João Cândido Portinari, Tarsilinha do Amaral, Ricardo Ohtake e Eduardo Kobra, com mediação de Sergio Montero, do Instituto Moreira Salles.
  • Ciclo Literatura e História: Lançamento do livro Sonata em Auschwitz. A autora Luize Valente vai conversar com o mediador José Luiz Goldfarb.
  • Parceria com Edições Sesc-SP: A editora promoverá quatro mesas sobre Culturas Milenares e Tecnologia, com a participação de nomes como Mamede Mustafa Jarouche (cultura islâmica), Sandra Salles (cultura africana), Sérgio Amadeu da Silveira (mídias sociais) e Ulisses Capozzoli (tecnologia).

SERVIÇO

A programação oficial do Flipoços 2018 pode ser conferida no site www.flipocos.com. Os ingressos começam a ser entregues a partir de 19 de Março, em troca da doação de um livro de literatura em bom estado.  Paralelamente ao Flipoços, ocorre a 13ª Feira Nacional do Livro de Poços de Caldas, com 80 expositores. O Festival Literário de Poços de Caldas é realizado pela GSC Eventos Especiais e conta com o patrocínio do DME, Mineração Curimbaba, Climepe, Fibrax, Supervale Supermercados e Prefeitura de Poços de Caldas. Parceiro cultural: Sesc Minas.

(*Com informações Assessoria de Imprensa)

Share this article

LALÁ RUIZ, jornalista, curiosa e apaixonada por cultura, comida e viagens, sem qualquer coerência no quesito preferência. Nascida em São Paulo, Capital, e radicada em Campinas, interior paulista, formada em Comunicação Social pela PUC-Campinas e trabalhou durante 26 anos na mídia impressa da cidade, tendo atuado nos jornais Correio Popular, Diário do Povo e Notícia Já.

Post a comment

Facebook Comments