Videogame: saiba quais foram os jogos mais vendidos de 2017

TEXTO: Rodrigo Bortoletto*/ FOTO: Pixabay

Os jogos mais vendidos de 2017. Ufa, que ano sensacional, hein? E com 2018 prometendo mais uma bela leva de jogos espetaculares, vamos dar uma olhada no que mais vendeu durante o ano passado nos três principais mercados do mundo – EUA, Japão e Europa – e, por fim, no ranking geral. E percebam como é interessante notar que muitas vezes achamos que determinada empresa “só está fazendo m#$*a em lançar jogo que ninguém pediu!”.

Os três principais mercados (não, o Brasil tá bem longe de ter representatividade em termos de vendas) mostram algumas peculiaridades, tanto em termos de gosto como na escolha de plataforma para se jogar algum título multiplataforma.

E reforçam algo que vivo repetindo em bate-papo com amigos sobre preferência na compra de um console: eu não acredito que a principal motivação da escolha sejam os jogos exclusivos. Esse fator já perdeu boa parte do peso na decisão faz tempo.

A única empresa que ainda vende um console por conta de seus exclusivos é justamente a Nintendo. Fora ela, pesam mais na hora da escolha fatores como hardware, serviços, circulo de amizades, confiança na marca etc.

Aliás, no Japão, dois jogos de 3DS lideraram as vendas, um console que a imprensa americana (e parte da brasileira) pede a morte. Faz tempo. Mas, vamos às listas*:

Os jogos mais vendidos nos EUA em 2017:

  • The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Nintendo Switch)
  • Call of Duty: WWII (PS4)
  • Super Mario Odyssey (Nintendo Switch)
  • Mario Kart 8 Deluxe (Nintendo Switch)
  • Call of Duty: WWII (Xbox One)
  • Destiny 2 (PS4)
  • Pokémon Sun/Moon (Nintendo 3DS)
  • Horizon: Zero Dawn (PS4)
  • NBA 2k18 (PS4)
  • Madden NFL 18 (PS4)

Os jogos mais vendidos na Europa em 2017:

  • Fifa 18 (PS4)
  • Call of Duty: WWII (PS4)
  • Horizon: Zero Dawn (PS4)
  • Crash Bandicoot N. Sane Trilogy (PS4)
  • The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Nintendo Switch)
  • Mario Kart 8 Deluxe (Nintendo Switch)
  • Fifa 18 (Xbox One)
  • GTA V (PS4)
  • Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands (PS4)
  • Resident Evil VII: Biohazard (PS4)

Os jogos mais vendidos no Japão em 2017:

  • Dragon Quest XI (Nintendo 3DS)
  • Monster Hunter Double Cross (Nintendo 3DS)
  • Splatoon 2 (Nintendo Switch)
  • Dragon Quest XI (PS4)
  • Mario Kart 8 Deluxe (Nintendo Switch)
  • Super Mario Odyssey (Nintendo Switch)
  • The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Nintendo Switch)
  • Pokémon Sun/Moon (Nintendo 3DS)
  • NieR Automata (PS4)
  • Resident Evil VII: Biohazard (PS4)

Ranking Global 2017:

  • Fifa 18 (PS4)
  • Call of Duty: WWII (PS4)
  • The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Nintendo Switch)
  • Mario Kart 8 Deluxe (Nintendo Switch)
  • Horizon: Zero Dawn (PS4)
  • Super Mario Odyssey (Nintendo Switch)
  • Crash Bandicoot N. Sane Trilogy (PS4)
  • Splatoon 2 (Nintendo Switch)
  • Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands (PS4)
  • Pokémon Sun/Moon (Nintendo 3DS)

(*Fonte: vgchatrz)

Minhas considerações finais:

Não adianta xingar Call of Duty e comprar feito louco. Vão continuar a fazer todo ano.

A EA (Eletronic Arts) tá longe de falir.

Para o desgosto dos haters, a Nintendo também.

Para quem vive gritando aos quatro ventos que tem uma base instalada de cerca de 70 milhões de consoles, os exclusivos do PS4 passam vergonha em termos de vendas.

Lembrando que Horizon: Zero Dawn foi um dos jogos mais bem avaliados do ano e concorreu a diversos prêmios. Além de o jogo ser de um estilo com bastante apelo para diversos públicos.

Pior ainda o Xbox One, que tenho e gosto muito. Mas nenhum jogo exclusivo figurou no Top 10 de nenhuma lista, apenas multiplataformas. Talvez se Cuphead tivesse sido lançado mais no começo do ano, mas, mesmo assim, acho difícil. E seus demais exclusivos de peso são títulos de nicho como estratégia em tempo real (Halo Wars 2) e automobilismo, como o caprichado Forza Motorsport 7.

Por outro lado, todos os jogos da Nintendo são exclusivos, exceto o Dragon Quest XI. Ah, vale lembrar que Dragon Quest XI só foi lançado no Japão até o momento, com previsão de chegada no Ocidente ainda este ano.

Tudo isso serve para reforçar aquilo que escrevi lá no começo do post.

E não adianta pegar como base “mimimi” de fanboy em comentários ou canais de internet. Se a maior parte deles comprasse os exclusivos com a mesma vontade com que defende suas empresas favoritas, essas listas seriam bem diferentes.

E contra números não há “mas” que se sustente.

*RODRIGO BORTOLETTO é um dos colaboradores da Caverna POP e sabe tudo de videogames.
**Siga a Caverna POP no Facebook

Share this article

LALÁ RUIZ, jornalista, curiosa e apaixonada por cultura, comida e viagens, sem qualquer coerência no quesito preferência. Nascida em São Paulo, Capital, e radicada em Campinas, interior paulista, formada em Comunicação Social pela PUC-Campinas e trabalhou durante 26 anos na mídia impressa da cidade, tendo atuado nos jornais Correio Popular, Diário do Povo e Notícia Já.

Post a comment

Facebook Comments