Aprender inglês no ano novo. Quem nunca prometeu?

TEXTO: Adriana Ruiz*/ FOTO: Pixabay

Estamos no início de mais um ano e, como é de costume, muitos de nós fazem planos e listas para os próximos 12 meses. Fazer dieta, exercitar, economizar, trabalhar, viajar, ter mais tempo para a família. A lista pode ser longa ou curta e varia de pessoa para pessoa, mas para muitos, alguns itens nunca mudam e muitas vezes parecem inalcançáveis. Dentre os grandes desafios das listas da vida moderna está aprender inglês.

No mercado de trabalho de hoje, falar inglês é quase obrigatório dependendo da área de atuação do profissional, mas no Brasil apenas uma pequena parte da população tem esse requisito. De acordo com pesquisa citada pela revista Exame, menos de 3% dos brasileiros são fluentes nesse idioma tão exigido no meio dos negócios e do turismo.

Nas minhas quase três décadas de experiência no ensino desse idioma, já escutei inúmeras pessoas que vieram até mim com explicações e colocações sobre as razões pelas quais não aprendem inglês. Elas quase sempre começam da mesma maneira: Preciso tanto aprender inglês, mas… O que vem depois normalmente é: não gosto do idioma; é tão difícil; não tenho tempo; demora muito; é muito caro.

É claro que o fator financeiro é algo mais difícil de resolver, mas ficar encostado numa desculpa é bastante cômodo. Não há segredo ou fórmula milagrosa para aprender um idioma. O que sempre respondo para essas pessoas é que, para aprender inglês, basta começar a estudar. Simples assim.

Hoje em dia há uma gama enorme de escolas, metodologias, professores particulares, cursos online e sites para auxiliar as pessoas no caminho para a fluência em idioma estrangeiro. A pessoa só precisa de iniciativa, criatividade e persistência para encontrar a solução para o problema de não falar inglês.

Uma das minhas resoluções para 2018 é começar e manter esse blog com dicas e curiosidades sobre a língua inglesa com o objetivo de ajudar pessoas como você, que leem essas minhas primeiras linhas, a aprender e praticar esse idioma tão falado ao redor do mundo. Que tal caminharmos juntos? Quem sabe até onde podemos chegar até o final deste ano?

*ADRIANA RUIZ é professora de inglês, dança flamenco e adora ficção científica

Share this article

LALÁ RUIZ, jornalista, curiosa e apaixonada por cultura, comida e viagens, sem qualquer coerência no quesito preferência. Nascida em São Paulo, Capital, e radicada em Campinas, interior paulista, formada em Comunicação Social pela PUC-Campinas e trabalhou durante 26 anos na mídia impressa da cidade, tendo atuado nos jornais Correio Popular, Diário do Povo e Notícia Já.

Post a comment

Facebook Comments