Festival Boca do Inferno: o horror e a fantasia em 37 filmes

FOTO: Cena do filme Eternidade, de Flávio Carnielli/ CRÉDITO: Divulgação

Pelo quarto ano consecutivo, o Boca do Inferno, considerado o maior portal da América Latina dedicado ao horror, ficção científica e cinema fantástico, realiza em São Paulo, Capital, o Festival Boca do Inferno (FBI), uma mostra de cinema com curtas e longas-metragens independentes de terror e fantasia.

O FBI ocorre nos dias 25 e 26 de Novembro de 2017, quando serão exibidas 37 produções nacionais e internacionais, incluindo dois filmes rodados na região de Campinas: O Crime da Cabra, de Ariane Porto e Teresa Aguiar, e Eternidade, de Flávio Carnielli. Também haverá um debate sobre a literatura macabra brasileira.

O site Lalá Ruiz – Notícias Crônicas conversou com Marcelo Milici, criador do portal Boca do Inferno e curador do FBI, sobre o evento. “Mais de 150 filmes foram enviados para o festival, oriundos de todas as partes do mundo”, disse o curador, ressaltando que o cinema nacional tem sempre prioridade na seleção. Leia a entrevista:

Lalá Ruiz – Notícias Crônicas: O festival chega à quarta edição em 2017. Quais os principais desafios em se manter e organizar um festival independente de cinema, principalmente um voltado para o terror e fantasia?

Marcelo Milici: É estar consciente de que você terá bastante trabalho e pouco incentivo. Os números mostram que o terror está cada vez maior, como um monstro incontrolável e apreciado por pessoas que até então não eram tão fãs do gênero, e é preciso que ele tenha um cuidado mais apropriado com isso. São mais portas que se fecham do que oportunidades atraentes, então quem organiza o festival tende a desistir do investimento e os produtores de cinema independente acabam buscando eventos em outros países, onde o retorno pela realização é maior.

Qual é a reação do público?

É sempre muito boa. Basta organizar, ter boa vontade e determinação para que o público resolva apreciar o evento. Tem sido assim desde a primeira edição; inclusive, temos um público bastante fiel que acaba se reencontrando todo evento de horror como o FBI.

Quantos trabalhos foram inscritos em 2017 e o que foi levado em conta na escolha dos filmes que serão exibidos?

Mais de 150 filmes foram enviados para o festival, oriundos de todas as partes do mundo. A prioridade é sempre o cinema nacional – tentamos buscar representantes de todos os lugares do Brasil para não ficar apenas no eixo das grandes capitais. Também temos um olhar para o mundo lá fora, para que os trabalhos mais conceituados tenham oportunidade por aqui. Nesta edição, temos filme da Grécia, do Canadá e Espanha, por exemplo.

O que diferencia esta edição das anteriores?

Toda edição tem alguma surpresa. Na primeira, apresentamos palestras e workshops. Na segunda, trouxemos mais filmes; na terceira, tivemos um bate-papo com um ator de Supermax e o lançamento do livro Medo de Palhaço. Este, com certeza, será o encontro de autores de horror como os grandes César Bravo, Alexandre Callari, Aislan Coulter, M.R. Terci e Marcos DeBrito! Além de lançamento de livros e HQs, o Festival terá um concurso de cosplay de horror!

Vai ter premiação?

Parte do bolso a premiação. Até então fazíamos um certificado oficial ou colocávamos no hall dos vencedores… este ano, estamos correndo atrás de troféus para os melhores filmes! Já o público não sairá de mãos vazias: sorteios de DVDs, livros, ingressos de filmes e até brindes.

Um destaque da programação é o debate sobre literatura macabra no Brasil, com a participação de escritores, em sua maioria, do interior de São Paulo. Gostaria que você falasse sobre isso.

É um encontro inédito entre esses nomes da literatura brasileira, bastante conceituados em suas primeiras obras: César Bravo, da Darkside Books, o autor e cineasta Marcos DeBrito (de Condado Macabro e Escravo de Capela), Aislan Coulter (de O Cordel de Sangue e Twittando com o Vampiro), Alexandre Callari (da trilogia Apocalipse Zumbi) e M.R. Terci (da série Bairro da Cripta, da trilogia Caídos, da revista Assombrada BR e de Imperiais de Gran Abuelo). Nunca o terror na literatura nacional foi tão bem representado!

Para você, quem é o grande nome do cinema de terror atualmente no Brasil?

Sem dúvida alguma, Rodrigo Aragão (N.R.: cineasta do Espírito Santo que dirigiu filmes como Mangue Negro, A Noite do Chupacabras e Mar Negro, entre outros). Ele foi o responsável pelo crescimento do cinema independente de horror brasileiro, criando uma identidade própria e de muito prestígio.

Existe a possibilidade de levar a programação do festival para outras cidades?

Se houver convite e espaço físico, é só entrar em contato conosco. Será um prazer abrir as portas do Inferno pelo Brasil!

SERVIÇO

4ª edição do Festival Boca do Inferno
Data: 25 e 26 de Novembro de 2017 (SÁBADO E DOMINGO)
Horário: 10h
Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade (Rua Três Rios, 363, Bom Retiro, São Paulo, SP)
Preço: Entrada gratuita

PROGRAMAÇÃO

25/11/2017 (SÁBADO)

10h10: Pazucus – A Ilha do Desarrego (Brasil, 110 minutos, 2017)
Direção: Gurcius Gewdner
Sinopse: A ilha é, por excelência, um território perturbado. Pedaço de terra desligado do continente ou território que emerge dos abalos advindos do centro do mundo: voltar a se integrar ao mar é o fantasma que ronda todas as ilhas. Oréstia & Omar buscam harmonizar sua relação em um acampamento e se veem, gradualmente, oprimidos pela natureza que de paradisíaca vai se tornando infernal. Paralelamente, dentro do intestino de Carlos, monstros fecais preparam-se para seu fim. Essa confusão estomacal faz dele uma presa fácil para o obsessivo Dr. Roberto.

13h: Sessão Mórbida

  • Lixo (Feira de Santana, BA, Brasil, 12 minutos, 2017)
    Direção: Antônio Augusto Farias
    Sinopse: Em uma noite chuvosa, uma mulher solitária conta histórias sobre seu lixo e o mistério que o envolve.
  • Um Dia é da Vida, o Outro da Morte (Salvador, BA, Brasil, 20 minutos, 2017)
    Direção: Calebe Lopes
    Sinopse: Uma garota assassinada nessa manhã na universidade. Ninguém liga.
  • O Assassino do Enforca Gatos (São José dos Campos, SP, Brasil, 13 minutos, 2017)
    Direção: Danilo Morales
    Sinopse: Assassino impiedoso ataca familia em casa de veraneio.
  • Coxinha (Goiânia, GO, Brasil, 13 minutos, 2017)
    Direção: Cristiano Souza e Ivan Martins
    Sinopse: As irmãs Almira e Piedade são campeãs de venda de coxinha na cidade – já que são baratas e muito saborosas! Tudo pode mudar com a chegada de um rapaz muito suspeito na lanchonete das doces senhorinhas.
  • #NotAlone (Grécia, 5 minutos, 2017)
    Direção: Sotiris Petridis e Dimitris Tsakaleas
    Sinopse: Uma adolescente tira selfies enquanto está sozinha em casa e tenta colocá-las numa rede social, mas logo ela irá perceber que não está sozinha.
  • Mordomo da Morte (Suzano, SP, Brasil, 18 minutos, 2017)
    Direção: Janderson Rodrigues
    Sinopse: Um grupo de amigos saem para um final de semana em um sítio, mas se perdem no caminho. O carro quebra no meio da noite em um lugar desconhecido. Eles avistam uma casa, onde vão pedir ajuda, mas não contavam que se deparariam com um Mordomo, pronto para o jantar.
  • Autômatos (Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 7 minutos, 2016)
    Direção: Leo Miguel
    Sinopse: Um homem é sequestrado, torturado e modificado.

15h: Sessão Sobrenatural

  • Assombra (Recife, PE, Brasil, 6 minutos, 2017)
    Direção: Filipe Falcão
    Sinopse: Amanda está sozinha em seu apartamento lendo um livro. Logo ela adormece e acorda no meio da noite. Ao se preparar para dormir, a jovem percebe que está sendo observada por alguém. Ou seria por algo? O que fazer já que ela está sozinha no apartamento trancada em um cômodo sem saída e sem possibilidade de pedir ajuda?
  • Sombras (São Paulo, SP, Brasil, 7 minutos, 2017)
    Direção: Rodrigo Cardoso
    Sinopse: Durante um apagão em seu apartamento, Lívia, uma jovem escritora terá de enfrentar sua maior fobia, o medo de escuro. A jovem acredita que existe algo maligno em sua casa e neste momento, só uma pessoa ouve seu pedido de socorro. Mas o que Lívia não sabe, é que seu maior pesadelo talvez seja sua única salvação. As vezes, permanecer no escuro é a melhor opção.
  • Bestia (Canadá, 8 minutos, 2017)
    Direção: Gigi Saul Guerrero
    Sinopse: O único sobrevivente de um desastre desperta numa praia deserta. Torna-se claro que há mais perigos espreitando na mata do que uma besta faminta.
  • Enfim Sós (Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 9 minutos, 2017)
    Direção: Helvécio Parente
    Sinopse: Casal se hospeda em um hotel, mas a esposa desaparece misteriosamente.
  • O Despertar de Selma (São Paulo, SP, Brasil, 10 minutos, 2016)
    Direção: Andrea Fergo
    Sinopse: Selma está em coma há mais de quatro anos e a família contratou a jovem Valeria para ser sua cuidadora. A única coisa que Valeria não sabe é que Selma não pode ser acordada em hipótese alguma.
  • Void Chair (Espanha, 8 minutos, 2016)
    Direção: Xavier Miralles
    Sinopse: Com a premissa do ditado “a curiosidade matou o gato”, traz uma história sobre coisas terríveis que podem advir da busca pelo desconhecido.
  • Casulos (São Paulo,SP, Brasil, 13 minutos, 2017)
    Direção: Joel Caetano
    Sinopse: Ela só queria descansar, mas algo vindo de muito distante atrapalha seus planos.
  • Este é Seu Corpo (Vitória, ES, Brasil, 8 minutos, 2017)
    Direção: Diego Scarparo
    Sinopse: Uma capela num descampado testemunha uma história de desejo e vingança num faroeste contemporâneo e brasileiríssimo.

16h10: Sessão Degola

  • Tragam-me a Cabeça de Antonio Mayans (Porto Alegre, RS, Brasil, 19 minutos, 2017)
    Direção: Felipe M.Guerra
    Sinopse: O ator espanhol Antonio Mayans fez mais de 150 filmes. Alguns bons, outros muito ruins. E agora, o pior deles poderá provocar a sua morte.
  • Mesa pra Dois (São Paulo, SP, Brasil, 5 minutos, 2016)
    Direção: Marcos DeBrito
    Sinopse: Uma deliciosa refeição a 240 quadros por segundo.
  • Apóstolos (São Paulo, SP, Brasil, 14 minutos, 2017)
    Direção: Marcos DeBrito
    Sinopse: Um homem sem cabeça prepara com cuidado uma grande ceia em frente a uma câmera fotográfica. Para conseguir encenar o retrato tétrico que tem em mente, precisa conseguir a cabeça de Judas antes da chegada da Lua Cheia.

17h: Mesa Literária – Debatendo a Literatura Macabra Nacional
Participantes: Aislan Coulter (Nascido em 1980, em Rancharia, SP, autor de O Cordel de Sangue e Twittando com o Vampiro); Alexandre Callari (Nascido em 1976, em São Paulo, Capital, autor de Brincando de Escrever, Evolução é uma Opção, O Dilema da Desatenção, Quadrinhos no Cinema e a trilogia Apocalipse Zumbi); Cesar Bravo (Nascido em 1977, em Monte Alto, SP, autor de Ultra Carnem); Marcos Debrito (Diretor do filme Condado Macabro, ao lado de André de Campos Mello, e autor dos livros À Sombra da Lua e O Escravo de Capela); e M.R.Terci (Nascido em 1973, em Descalvado, SP, autor de O Bairro da Cripta, O Mythos, Caídos e Os Santos de Colditz)

18h: Autógrafos, contato com os autores e encerramento.

26/11/2017 (DOMINGO)

10h: O Crime da Cabra (São Paulo, SP, Brasil, 90 minutos, 2016)
Direção: Ariane Porto e Teresa Aguiar
Sinopse: Uma pequena cidade do interior vê seu cotidiano abalado por causa de um crime inusitado – uma cabra comeu o dinheiro da sua própria venda. Tem início uma disputa entre dois antigos amigos para saber de quem é a cabra. Um vendeu e não recebeu o dinheiro. O outro pagou e não levou. Por conta desta e de outras aventuras a cabra torna-se o centro das atenções e transforma a vida da cidade, às voltas com uma polêmica sem fim. Ambientado no universo caipira de uma fictícia cidade do interior de São Paulo, o longa utiliza recursos do circo-teatro e faz uma homenagem ao ator e cineasta Amácio Mazzaropi (1912-1981), o maior caipira da história do cinema.

11h40: Astaroth (Campo Grande, MS, Brasil, 75 minutos, 2017)
Direção: Larissa Anzoategui
Sinopse: Encobertas pelas névoas do tempo, Astaroth foi esquecida, mas Gregório é obcecado por ela e unirá seus conhecimentos arcanos à sua arte da tatuagem para trazer a entidade ao mundo mortal. Três jovens se veem perigosamente envolvidas em seus planos.

13h: Sessão Mal Enterrados

  • Zumbiciedade (São Vicente, SP, Brasil, 4 minutos, 2017)
    Direção: Alan Diego Oliveira Maia
    Sinopse: Será que estamos preparados para um apocalipse zumbi ou já vivemos um?
  • Cercados pela Morte (Curitiba, PR, Brasil, 20 minutos, 2016)
    Direção: João Vitor Ferian
    Sinopse: Em um Brasil devastado por um suposto vírus capaz de reanimar cadáveres, um grupo de sobreviventes está confinado em uma casa, enfrentando a fome, o medo, os mortos… e os vivos.
  • Eternidade (Campinas, SP, Brasil, 13 minutos, 2016)
    Direção: Flávio Carnielli
    Sinopse: Um casal separado pela morte é capaz de tudo para se reencontrar, até mesmo invocar a deusa da eternidade. Inspirado no cinema expressionista alemão.

13h50: A Floresta das Almas Perdidas (Portugal, 71 minutos, 2016)
Direção: José Pedro Lopes
Sinopse: No local mais triste do mundo, dois estranhos se conhecem. Mas um deles está feliz por estar ali.

15h10: Sessão Heresia

  • Rosalita (Juiz de Fora,MG, Brasil, 19 minutos, 2017)
    Direção: Luciano de Azevedo
    Sinopse: Amaldiçoados serão os adoradores de deus…
  • Sol (São Paulo, SP, Brasil, 14 minutos, 2017)
    Direção: Carlos G.Gananian
    Sinopse: Sol só escuta uma voz. A voz de Ari…
  • O Lago (São José dos Campos, SP, Brasil, 25 minutos, 2017)
    Direção: Danilo Morales
    Sinopse: Piero retorna ao lar de seus pais sanguíneos, um inóspito e hostil vilarejo, onde segredos se revelam pouco a pouco. Baseado no conto Dagon, de H.P.Lovecraft.
  • Mãe dos Monstros (São Paulo, SP, Brasil, 9 minutos, 2017)
    Direção: Julia Zanin
    Sinopse: Uma garota é perseguida por uma trupe circense. Ela está sozinha em um lugar desconhecido tentando achar a saída. Será um show de horrores? Uma história baseada no conto La Mère aux Monstres, de Guy de Maupassant, que pretende homenagear clássicos do horror.
  • Guardiã das Bruxas (São Paulo, SP, Brasil, 4 minutos, 2016)
    Direção: Renata Abreu
    Sinopse: Quando alguém bate à sua porta, a dúvida é: Quem pode ser? Será que ele vem? Mas na noite de Halloween só existe uma pergunta. E ela só tem uma chance para dar a resposta certa: Doces ou Travessuras?
  • Cinco Cálices (Guarulhos, SP, Brasil, 12 minutos, 2017)
    Direção: Rubens Mello
    Sinopse: Ivan é um homem com uma doença terminal, que busca através do ocultismo, uma forma de prolongar sua existência. As consequências de seus atos trarão a si uma maldição eterna.

16h40: Sessão Universo Paralelo

  • Não Abra Jamais (São Paulo, SP, Brasil, 9 minutos, 2016)
    Direção: Rafael Zanesco
    Sinopse: Após o recebimento de um misterioso envelope sem remetente, uma aura demoníaca domina o apartamento de Karen.
  • Miçanga Negra (Fortaleza, CE, Brasil, 9 minutos, 2016)
    Direção: Thiago Henrique Sena
    Sinopse: Uma vingança. Uma caçada. Entre o sonho e a realidade.
  • Down to the Wire (Espanha, 13 minutos, 2017)
    Direção: Juan Carlos Mostaza
    Sinopse: Um homem e sua filha tentam sobreviver num mundo pós-apocalíptico.
  • Última Puella (Recife, PE, Brasil, 8 minutos, 2017)
    Direção: Jota Bosco
    Sinopse: Entre os anos 70 e 80, Cláudio Zuccolotto criou Indianara, protagonista de uma HQ lançada com tiragem limitadíssima. Os poucos exemplares que restaram tornaram-se itens de colecionador e objeto de desejo de muitos fãs. Zuccolotto morreu em 1983 sem ter seu trabalho devidamente reconhecido. Essa é a nossa homenagem…
  • Ser ou Não Ser (São Paulo, SP, Brasil, 12 minutos, 2017)
    Direção: Elder Fraga
    Sinopse: A famosa frase “Ser ou não ser” surge do terceiro ato da peça, quando Hamlet vai ao encontro de Ofélia dizer que não a amava. A questão é que ele pretendia colocar em prática seu plano para vingar a morte do pai e, para tanto, ele precisa se afastar de Ofélia mesmo a amando.
  • O Beijo da Bruxa (São Paulo, SP, Brasil, 13 minutos, 2017)
    Direção: Jeziel Bueno
    Sinopse: Um homem irá se embrenhar em uma perigosa jornada em uma floresta escura em busca da bruxa que abduziu sua filha.

18h: Encerramento

Mais informações: www.facebook.com/events

Share this article

LALÁ RUIZ, jornalista, curiosa e apaixonada por cultura, comida e viagens, sem qualquer coerência no quesito preferência. Nascida em São Paulo, Capital, e radicada em Campinas, interior paulista, formada em Comunicação Social pela PUC-Campinas e trabalhou durante 26 anos na mídia impressa da cidade, tendo atuado nos jornais Correio Popular, Diário do Povo e Notícia Já.

Website Comments

Post a comment

Facebook Comments