Conheça a única cidade-museu habitada do mundo. Fica na Espanha

FOTO: Entrada da cidade de Genalguacil/ CRÉDITO: Lalá Ruiz

A palavra Genalguacil vem do árabe Genna-Alwacir e significa Jardins do Vizir. É também o nome de um dos “pueblos blancos” surgidos à época da dominação moura no Sul da Espanha. Localizado no vale do Rio Genal, na Cordilheira de Ronda, cadeia montanhosa na Província de Málaga, região da Andaluzia, o município com cerca de 500 habitantes atrai visitantes basicamente por dois motivos: 1) possui trilhas que desafiam os adeptos de longas caminhadas em meio à natureza exuberante; e 2) é a única cidade-museu habitada do mundo, com centenas de obras de arte espalhadas por suas poucas e estreitas ruas.

Quase um vilarejo, desde 1994 a “pequena grande” Genalguacil realiza a bienal Encuentros de Arte, sempre na primeira quinzena de Agosto. Mais do que uma vitrine para novos talentos, a bienal é um período de residência artística – os artistas selecionados por uma curadoria especializada recebem “casa, comida, roupa lavada” e todo o apoio necessário para criar; em troca, doam uma (ou mais) obras para o município, seja para exposição nas ruas, seja para o acervo do Museo de Arte Contemporáneo Fernando Centeno, que apesar de jovem (tem 13 anos), já é considerado um dos mais importantes do gênero na Espanha.

Essa peculiaridade transforma o ato de caminhar pelas ruas de Genalguacil em uma jornada de descobertas. As pequenas casas e sobrados se mostram um contraponto interessante às diferentes propostas artísticas expostas ao ar livre. Por exemplo: na lateral dos Apartamentos Rurales “Jardines del Visir”, uma das opções de hospedagem no local, há um grande mural que retrata as figuras de um vizir comendo hambúrguer, um gaúcho e seu inseparável mate, um skatista com Che Guevara estampado na camiseta e uma lata de Coca-Cola na mão, duas adolescentes e um sapo, que parece esperar por um beijo para assim virar príncipe.

Veja galeria de fotos:

 

É impossível não se encantar com essa cidade realmente singular. Situada a 517 metros acima do nível do mar (no caso, o Mediterrâneo), seu território de 31,06 quilômetros quadrados se estende ao longo da margem esquerda do Rio Genal, com muitos bosques de castanheiras (uma das principais fontes de renda locais), “pinsapos” (árvores da família dos pinheiros) e árvores frutíferas (prepara-se para degustar as laranjas mais suculentas da sua vida). Um passeio altamente recomendado para quem busca uma experiência diferente durante uma viagem à Andaluzia, região da Espanha por si só maravilhosa.

Uma vez em Genalguacil, não deixe de visitar…

CRÉDITO: Lalá Ruiz

 

…a Igreja de São Pedro Mártir de Verona
A matriz da cidade foi erguida no século 17, em substituição à construção original, incendiada e destruída pelos mouros em 1570. É dedicada ao santo nascido na Itália, um frade dominicano morto com uma machadada na cabeça no século 13, como bem mostra sua imagem exposta no altar. A festa do padroeiro é realizada anualmente, no dia 29 de Abril. Colado na igreja, fica o pequeno cemitério vertical da cidade e, em frente, a praça principal, de onde se tem uma vista deslumbrante do vale.

CRÉDITO: Lalá Ruiz

 

…o Museo de Arte Contemporáneo Fernando Centeno
Além de acervo permanente, o espaço recebe mostras temporárias de importantes artistas da Espanha. Dentro do museu, funciona uma loja onde é possível conhecer (e comprar) o artesanato local (a agenda de exposições pode ser consultada no site da prefeitura).

ANOTE NA AGENDA

Quando ir

Os meses de primavera e verão são os mais indicados para visitar Genalguacil, já que o inverno costuma ser rigoroso na região. Temperatura média anual: 14 graus.

Como chegar

Há apenas uma linha regular de ônibus entre Ronda e Genalguacil, administrada pela empresa Transportes Generales Comes. Para informações sobre horários e frequências, aconselha-se consultar o guichê da empresa na Estación de Autobuses de Ronda (telefone: +34 952 871 992). Devido a essa escassez de transporte coletivo, o melhor mesmo é alugar um carro. Principalmente porque boa parte da viagem é feita por estradas vicinais que cortam outros povoados. Confira a distância entre Genalguacil e algumas das cidades mais famosas da Andaluzia:

  • Córdoba: 234 quilômetros
  • Estepona: 43 quilômetros
  • Granada: 221 quilômetros
  • Málaga: 131 quilômetros
  • Ronda: 41 quilômetros
  • Sevilha: 170 quilômetros

Observação: Genalguacil fica a 80,4 quilômetros de Gibraltar, cidade no território espanhol que pertence ao Reino Unido (do outro lado do Mediterrâneo, está Marrocos, na África)

Onde se hospedar

O Complejo Rural “Jardines del Visir” oferece três opções de hospedagem. A saber:

  • Apartamentos rurales – Quatro apartamentos de dois dormitórios e estrutura completa (TV, equipamentos de cozinha etc.). Pet friendly.
  • Casas rurales – Duas casas de três dormitórios cada, estrutura completa e vista para o Valle del Genal. Pet friendly.
  • Hotel Rural Posada del Recovero – Seis quartos duplos com banheiro.

As diárias custam a partir de 40 euros (na baixa temporada, sem café da manhã) e 60 euros (na alta temporada, sem café da manhã). A tabela completa com valores e datas pode ser consultada no site www.jardinesdelvisir.com e as reservas pode sem feitas pelo e-mail laposadadelrecovero@hotmail.com ou pelos telefones +34 952 152 164 (fixo) e +34 669 808 270 (celular). O site do complexo também traz informações sobre passeios a pé, a cavalo, em veículos 4×4 e outras atividades ao ar livre pela região.

CRÉDITO: Lalá Ruiz

 

Onde comer

  • Posada del Recovero – A pousada concentra o serviço de café da manhã do Complejo Rural Jardines del Visir, e mesmo quem não incluiu o serviço no valor da diária pode usufruir da facilidade mediante reserva no dia anterior e ao pagamento de uma taxa em torno de 4 euros. O café da manhã servido no espaço é tradicional da Andaluzia, com laranjas, café, leite, pão caseiro com tomate, jamón serrano, bolinhos e biscoitos. Também mediante reserva, é possível jantar no local. O menu também segue a tradição andaluza, com batatas, queijos, linguiças e outros embutidos. Tudo acompanhado por um bom vinho.
  • Pub Cabri (Calle Real, 68) – Misto de bar e restaurante ideal para tomar uma cerveja e “tapear” (petiscar). Também serve clássicos da culinária regional como arroz com coelho e sopa de lentilhas. Ah! A trilha sonora do bar é 100% rock and roll.
  • Bar Mateos (Avenida Estepona, 29492, telefone +34 952 15 21 76) – Lugar frequentado pelos moradores, que aproveitam as mesas para jogar cartas ou damas. Ideal para tomar um café ou uma cerveja.

Quem alugar casa ou apartamento pode preparar a própria refeição, já que as cozinhas dos alojamentos são equipadas para tal. Mas, deve ficar atento ao horário de funcionamento (e estoque) do único supermercado da cidade, o Zarza (Calle Patio Higuera de la Muda, s/nº, telefone: +34 952 15 21 14). 

Também é possível pegar o carro e explorar os restaurantes das cidades vizinhas, como por exemplo, a pitoresca e disputada Venta San Juan, em Jubrique (Calle Algatocín, telefone: +34 952 15 22 05). Os pratos são generosos, os preços justos (média de 10 euros) e a preocupação com colesterol não existe (serve-se muita carne, ovos, bacon etc.).

*Informações sobre outras opções de hospedagem e de locais para comer podem ser obtidos no site da Prefeitura de Genalguacil: www.genalguacil.es

Encuentros de Arte

Artistas interessados em participar dos Encuentros de Arte devem seguir o perfil da bienal no Twitter (@artgenalguacil). Lá são feitos todos os anúncios referentes ao evento, cuja edição mais recente foi realizada em Agosto de 2016 (assista ao vídeo abaixo).

Como fui parar em Genalguacil?

Meu avô paterno, João Ruiz, nasceu em Genalguacil, na Calle Barranco, em 27 de Maio de 1907. À época da Guerra Civil Espanhola, ele deixou sua cidade natal e partiu para o Brasil, em busca de uma nova vida. Aqui, foi colono em fazendas do interior de São Paulo, casou-se com Virgínia, filha de imigrantes italianos, criou nove filhos, viu nascer alguns netos e morreu. Visitei a cidade em Maio de 2016 junto com minha mãe, irmã e um casal de tios (meu pai morreu em 1999 sem ter tido a oportunidade de fazer o “caminho de volta”).

CRÉDITO: Lalá Ruiz

 

E se você chegou a Genalguacil…

…certamente passou por Ronda. Se não passou, não perca a oportunidade de conhecer a cidade que dá nome à cordilheira (serranía, em espanhol) e é a maior e mais famosa entre os chamados “pueblos blancos”. Nem que for apenas para conhecer essa maravilha da foto abaixo:

CRÉDITO: Lalá Ruiz

 

A chamada Ponte Nova foi construída entre 1759 e 1793 e une as partes antiga e moderna do município. Ela passa sobre a fenda por onde passa o Rio Guadalevín, chamada de “El Tajo”. Mais informações sobre Ronda podem ser obtidas no site da prefeitura local: www.ayuntamientoronda.es.

Leia também:

Museu no coração de Sevilha, Espanha, celebra a cultura flamenca

Mesquita-Catedral de Córdoba, um tesouro da humanidade

Share this article

LALÁ RUIZ, jornalista, curiosa e apaixonada por cultura, comida e viagens, sem qualquer coerência no quesito preferência. Nascida em São Paulo, Capital, e radicada em Campinas, interior paulista, formada em Comunicação Social pela PUC-Campinas e trabalhou durante 26 anos na mídia impressa da cidade, tendo atuado nos jornais Correio Popular, Diário do Povo e Notícia Já.

Website Comments

  1. Angela Maria Correia Dias
    Responder

    Parabéns Lalá! Amei a matéria. Muito boa e me deu uma vontade louca de conhecer esse lugar que parece ser muito interessante.

  2. Elizabeth Ruiz
    Responder

    Parabéns Lalá Ruiz pela bela matéria e pela descrição perfeita das belezas de Genalguacil.

Post a comment

Facebook Comments