Café Filosófico: Mario Sergio Cortella e Marcelo Tas debatem cidadania

FOTO: Depositphotos

Basta de Cidadania Obscena! é o nome do livro nascido de um debate entre o filósofo Mario Sergio Cortella e o comunicador Marcelo Tas, publicado pela editora Papirus 7 Mares. Na obra, os autores conversam sobre o avesso da cidadania, que passa ao largo da ética, e avaliam o papel de cada um de nós na recusa ao obsceno. O lançamento em Campinas (SP) será no dia 30 de Maio de 2017, em edição especial do Café Filosófico da CPFL Cultura no Teatro Municipal José de Castro Mendes, com entrada gratuita.

A ideia do livro partiu da seguinte premissa: quando o exercício dos direitos e deveres de um cidadão para com outro não acontece como deveria, o que é possível fazer? Entre outras questões, os autores discutem o politicamente correto – e incorreto – e como a comunicação pode e deve ser usada a serviço da boa cidadania. Eles avaliam o papel social dos formadores de opinião nesse cenário, especialmente em nossa era digital, e questionam até que ponto o virtual favorece uma participação cidadã mais ativa.

Capa do livro escrito por Mario Sergio Cortella e Marcelo Tas (CRÉDITO: Divulgação)

 

SERVIÇO

Café Filosófico Especial com Mario Sergio Cortella e Marcelo Tas/Lançamento do livro Basta de Cidadania Obscena!
Data: 30 de Maio de 2017 (TERÇA-FEIRA)
Horário: 19h
Local: Teatro Municipal José de Castro Mendes (Praça Correa de Lemos, s/nº, Vila Industrial, Campinas, SP)
Preço: Entrada gratuita, por ordem de chegada, a partir das 18h
Transmissão online: www.youtube.com/user/videoscpflcultura, www.institutocpfl.org.br/aovivo e www.facebook.com/institutocpfl
Mais informações: (19) 3756-8000

(*Com informações Assessoria de Imprensa)

Share this article

LALÁ RUIZ, jornalista, curiosa e apaixonada por cultura, comida e viagens, sem qualquer coerência no quesito preferência. Nascida em São Paulo, Capital, e radicada em Campinas, interior paulista, sou formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas) e trabalhei durante 26 anos na mídia impressa da cidade, tendo atuado nos jornais Correio Popular, Diário do Povo e Notícia Já.

Post a comment

Facebook Comments