Produtor lança catálogo com 500 variedades de Rosa do Deserto

FOTO: Rosa do Deserto linha crepúsculo/Crédito: Divulgação

A Estância Vitória, localizada em Urupá, na microrregião de Ji-Paraná, Rondônia, lançou um catálogo com 500 variedades de Rosas do Deserto, uma planta ornamental de baixa manutenção que chama a atenção pela beleza exótica. O objetivo é atender paisagistas e decoradores, mas por meio das vendas realizadas online, o produtor pode atender aos consumidores de todo o país.

O catálogo apresenta os diferentes formatos, tamanhos e cores da Rosa do Deserto, espécie que pode ser cultivada tanto em vasos como em jardins. As variedades são identificadas por códigos de referência, linha (crepon, cata-vento, peace, yellow, pétalas e grape) ou nome fantasia (fogueira, bailaora, sangria, crespúsculo, caleidoscópio e por do sol, entre outros).

Quatro delas foram batizadas com nomes de mulheres vencedoras do Prêmio Nobel da Paz, como da menina paquistanesa Malala Yousafzai; a presidente da Libéria, Ellen Johnson-Sirleaf; a militante pela paz também liberiana Leymah Gbowee; e a ativista iemenita da Primavera Árabe, Tawakkul Karman. A oferta perene em 2016 é de 500 mil vasos, permitindo o pronto atendimento. Os preços, para o consumidor final, são a partir de R$ 35.

Com logística própria, a Estância Vitória atende seis estados brasileiros (Rondônia, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Minas Gerais e Espírito Santo), onde as Rosas do deserto podem ser encontradas em floriculturas, viveiros, garden centers e demais atacadistas de flores. Os demais estados brasileiros começam a ser atendidos, a partir de agora, por meio de vendas online no e-commerce www.estanciavitoriaonline.com.

 

ORIGEM

A Rosa do Deserto é uma flor originária da Península Arábica e do Sul da África. Gosta de muita luminosidade, umidade alta, clima quente e adubação rica em fósforo e potássio. Segunda a produtora Tereza Cordeiro, da Estância Vitória, cuidar da Rosa do Deserto é muito simples. “Secou, basta molhar novamente. Por isso é a flor ideal para cultivo em vasos e ornamentação de jardins”, diz.

Share this article

LALÁ RUIZ, jornalista, curiosa e apaixonada por cultura, comida e viagens, sem qualquer coerência no quesito preferência. Nascida em São Paulo, Capital, e radicada em Campinas, interior paulista, formada em Comunicação Social pela PUC-Campinas e trabalhou durante 26 anos na mídia impressa da cidade, tendo atuado nos jornais Correio Popular, Diário do Povo e Notícia Já.

Post a comment

Facebook Comments